H-Bar: Transformação Integrada e Inteligente de Negócios

Depois de ter trabalhado em muitos países e indústrias ao longo de uma carreira

de quase 20 anos, o sócio e diretor da 20.20 BIS, inventou o Modelo H-Bar. 

 

O modelo foi apresentado com sucesso nos congressos nacionais PMI e Six

Sigma no Brasil, por Christian Brogger em 2017.

O modelo é uma abordagem integrada para definir e entregar iniciativas de

melhoria e transformação de negócios. A ideia baseia-se na seleção pragmática

e na aplicação de ferramentas para resolver desafios específicos de negócios,

focados nas necessidades do negócio ou organização - NÃO nas restrições

das ferramentas.

O modelo H-Bar consiste em quatro fatores simples. Todos devem estar presentes no negócio para otimizar a probabilidade de sucesso - ao melhorar ou transformar negócios em escala.

 

1. Estratégia, Governança e Controle Financeiro

 

No topo do modelo, a seta azul, significam ESTRATÉGIA, GOVERNANÇA E CONTROLE FINANCEIRO. É imperativo que qualquer iniciativa de melhoria ou transformação de negócios seja enraizada firmemente na estratégia de uma organização; Caso contrário, não haverá patrocínio nem apoio para uma iniciativa.

 

2. Definição e Planejamento do Escopo

 

A primeira parte vertical do "H" significa carga frontal em termos de engajamento empresarial, definição de escopo e formação da coalizão que impulsionará a iniciativa do início ao fim. As atividades de INICIAÇÃO E PLANEJAMENTO DE GESTÃO DE PROJETO / PROGRAMA / PORTFOLIO são fundamentais para definir a iniciativa em estreita colaboração com o negócio - para o negócio. Ao definir uma atividade, a aplicação pragmática de modelos de documentos é necessária e os seguintes templates podem ser usados: Plano de Gerenciamento de Projetos, Project Management Canvas, Termo de Abertura de Projeto, etc., tudo dependendo da natureza da iniciativa. Os tipos mais complexos de iniciativas exigirão uma extensa documentação de definição / planejamento, ao passo que atividades mais simples podem exigir apenas um Termo de Abertura de Projeto.

 

3. Entrega Ágil e Controlada

A parte horizontal do "H" representa a ENTREGA da iniciativa. Dependendo da natureza do projeto a ser entregue, as metodologias a serem aplicadas a cada estágio podem variar significativamente. Normalmente, ao entregar /melhorar processos, serviços e ativos, as abordagens mais relevantes serão:

  • Lean

  • Seis Sigma (DMAIC / DMADV)

  • Desenvolvimento de TI, baseado no Waterfall

  • Desenvolvimento de TI, baseado no Agile

  • Design Thinking

 

Como parte do pensamento HÍBRIDO - na maioria das vezes, a melhor e mais eficaz solução revela-se uma combinação de todos os (5) métodos apresentados acima. Usando apenas uma ferramenta, na maioria dos casos, será suficiente para entregar um novo processo, serviço ou ativo. No entanto, uma ferramenta vem com capacidade muito limitada em relação ao resultado desejado.

Um exemplo poderia ser a implementação de um ERP. Um projeto dessa natureza e complexidade poderia exigir facilmente partes de todos os (5) métodos a serem incluídos na entrega do Projeto ERP.

  • LEAN, poderia ser usado para identificar DESPERDÍCIOS de processamento atual - e fazendo mapas de fluxo de valor para o estado futuro, provar o valor para o negócio de atividade de melhoria de processo.

  • SEIS SIGMA, pode ser usado para reduzir VARIAÇÃO DE PROCESSO, tanto melhorando os processos atuais (DMAIC) quanto processos novos para desempenho em nível de seis sigma (DMADV).

  • O DESENVOLVIMENTO DE TI - WATERFALL, poderia ser útil na infra-estrutura de TI e aspectos de integração da implementação do ERP.

  • IT DEVELOPMENT – AGILE, could be very useful in relation to USER INTERFACE / BPM aspects of the ERP project. O DESENVOLVIMENTO DE TI - AGILE, pode ser muito útil em relação aos aspectos de INTERFACE DO USUÁRIO/ BPM do projeto ERP.

  • DESIGN THINKING, é sempre fantástico envolver as partes interessadas nos requisitos, prototipagem e validação de ideias para melhoria de negócios.

 

A conclusão para a fase 'ENTREGA' é: Agilidade e velocidade é um dever devido à velocidade necessária para sobrevivência hoje em dia. Ao ser ágil e colaborar de perto com os clientes internos /externos, a probabilidade de falha ou desenvolvimento de solução sub-ótima é eliminada durante a entrega. Além disso, as os receptores do output do projeto terão uma "participação" na saída final e, assim, aceitarão a solução.

4.. Entrega de Valor

A última vertical do "H" diz respeito à implementação e criação de valor de acordo com o escopo do projeto e/ou business case.

Neste momento do projeto, é essencial que a solução seja incorporada nas operações o mais facilmente possível. Para garantir que este seja o caso, a GESTÃO DE MUDANÇA deve ser aplicada. As ferramentas a serem consideradas são:

  • Change Acceleration Process (CAP)

  • Q = A x E

  • ABC

  • PIC/NIC

  • DCOM™

Ao determinar a PREPARAÇÃO DE MUDANÇA da operação e das partes interessadas em geral, é possível selecionar as ferramentas adequadas da GESTÃO DE MUDANÇAS e combiná-las com ferramentas de GESTÃO DE COMPORTAMENTO adequadas para direcionar a implementação do output do projeto.

Esta atividade é vital para gerar os resultados desejados de um projeto relativo a processos, produtos, serviços ou ativos. Ao envolver membros das operações e as partes interessadas em geral, o terreno deve estar bem preparado para uma transferência bem-sucedida de "projeto" para "operações".

 

 

H-BAR & Gestão de Riscos

Os gerentes de projeto estão sob pressão para fornecer parâmetros de Tempo, Orçamento, Qualidade e Escopo (TQCS). À medida que o ambiente de negócios é cada vez mais complexo e a pressão para entregar mais rápido e por menos custo, é imperativo que os Gerentes de Projetos e as Empresas estejam em CONTROLE dos esforços para entregar atividades de redução de OPEX ou iniciativas de CAPEX (ROI).

 

O modelo H-BAR é uma ferramenta de mudança integrada, que pode ser usada por todos os setores e, em particular, em relação à GESTÃO DE RISCOS. Como?

É possível avaliar um projeto em todos (4) aspectos do ciclo de vida do projeto:

  1. Estratégia, Governança e Controle Financeiro:

    1. A estratégia está bem definida?

    2. É um modelo de governança para garantir uma execução efetiva?

    3. O caso de negócios está bem definido e como o projeto está sendo executado contra o caso de negócios (por exemplo, Análise de valor obtido

  2. Definição e Planejamento do Escopo

    1. O escopo está claramente definido?

    2. Todas as partes interessadas foram consultadas?

    3. O plano é realista?

    4. Quais são os Riscos, Questões e Oportunidades?

  3. Entrega Ágil e Controlada

    1. A entrega é realizada em parceria com as partes interessadas?

    2. A "voz do Cliente" é procurada?

    3. A equipe do projeto está em alta performance?

    4. As questões, riscos e oportunidades são identificados e, se necessário, escalados para resolução    

 4. Entrega de Valor

a) O planejamento do gerenciamento de mudanças foi realizado?

b)As partes interessadas estão preparadas para a transição do projeto para "business as usual"?

c) As atividades de treinamento relevantes foram planejadas / entregues?

d) As partes interessadas terão a oportunidade de ter sucesso com o novo produto, processo, serviço ou ativo?

e) Foram identificados re-implementadores positivos?

f) Usando essas questões Gerentes de Projeto e Gerenciamento em geral, podem avaliar a probabilidade de sucesso para uma iniciativa.

 

A melhoria / mudança ou transformação de negócios bem-sucedida é uma função de uma série de fatores:

Ao decompor o projeto em partes vitais e calcular a % é possível atribuir uma ordem de magnitude à probabilidade do projeto em ser bem-sucedido. No exemplo acima, o número é de 42%. Isso não deve ser interpretado como uma pontuação científica, mas sim uma ordem de magnitude.

Esta abordagem para entender a "VOZ DO PROJETO" é vital para todas as partes interessadas envolvidas entenderem como o projeto está sendo executado e trabalhar como equipe para corrigir problemas de desempenho.

Na ilustração acima, o 'Xx' é o acelerador que pode alterar significativamente o nível de desempenho de um projeto ou iniciativa. O 'Xx' Refere-se ao “Fator-X” no contexto do projeto, e refere-se ao poder do gerente do projeto ou do agente de mudança que está no centro da entrega das atividades e é capaz de influenciar.

Conclusão:

No mundo de hoje - a capacidade das empresas de mudar, melhorar e transformar-se é tão importante como ter excelentes produtos / serviços (principal proposição de negócios).

 

O modelo H-Bar oferece uma estrutura integrada para gerenciar mudanças, melhorias e transformação, end-2-end.

 

O modelo, quando usado com frequência, irá construir uma capacidade organizacional que aumentará ao longo do tempo e, portanto, aumenta a maturidade das organizações em relação aos concorrentes criando uma vantagem competitiva.

 

A melhoria, mudança e transformação do negócio podem ser como escalar uma montanha, mas com as ferramentas e a atitude correta - é possível mover montanhas. O modelo H-Bar é a estrutura ideal, flexível, ágil e orgânica.

Ou entre em contato conosco:

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White YouTube Icon

Endereço: R. Visconde do Rio Branco, 1488 - Cj 906  

Curitiba, Paraná, Brasil.

CEP: 80420-210

 

Fone: +55 (41) 3308-1113

Email: contato@2020bis.com

Nos envie a sua mensagem: